Histórico

O início

Blumenau foi fundada em 02 de setembro de 1850. Entre os primeiros colonos alemães vindos com Dr. Blumenau, fundador da cidade, já formavam-se, aos domingos, pequenos grupos dedicados à arte dramática e ao canto como expressão cultural de sua terra de origem. Estas reuniões, que também incluíam o esporte (como o tiro-ao-alvo), resultaram na organização da primeira sociedade recreativa da colônia. Em 21 de dezembro de 1859 criou-se então a Sociedade dos Atiradores de Blumenau, com 47 sócios.teatro b

Mais tarde os grupos de teatro e canto se desmembraram desta Sociedade para formar a Sociedade Teatral de Blumenau e a Sociedade dos Cantores da Colônia de Blumenau. Ambas, porém, continuaram funcionando anexas à Sociedade dos Atiradores que, nas instalações de sua sede construiu, em 1870, um prédio dotado com palco para as encenações e apresentações musicais.

A Sociedade Teatral de Blumenau foi instituída em 24 de junho de 1860 e só passou a configurar-se como sociedade em 18 de abril de 1895, quando adotou o nome de Sociedade Teatral Froshsinn.

A Sociedade dos Cantores da Colônia de Blumenau foi fundada três anos depois, em maio de 1863, pelo pastor Osvaldo Hesse. Mais tarde foi denominada Sociedade de Canto Germânia.

Novos horizontes

Enquanto os cantores organizavam uma banda de música para as datas festivas e comemorações - as quais faziam com grande aparato - o grupo teatral se desligava da Sociedade dos Atiradores. A permanência na entidade tornava-se difícil pela diversidade de propósitos entre as duas facções.

Os sócios da Sociedade Teatral Frohsinn adquiriram um terreno na então Rua das Palmeiras (hoje Alameda Duque de Caxias), para a construção de sua sede própria: o Teatro Frohsinn. Junto a eles uniu-se um grupo de cantores: a Sociedade Musical Lyra.

A última apresentação da Sociedade Teatral Frohsinn na Sociedade dos Atiradores foi dia 16 de fevereiro de 1895 com a comédia "O Último".

A inauguração

teatro aPara a inauguração do Teatro Frohsinn, em abril de 1896, foi encenada a peça "Uma Idéia Maluca", de Karl Laufs, escolhida justamente pelo seu título - usado como resposta àqueles que consideravam "loucura" a idéia de construir um teatro em Blumenau.

Precursora

Com o transbordamento do rio Itajaí-Açu, na grande enchente de 1880, grande parte dos equipamentos e da biblioteca destas sociedades foi perdida, dificultando a recuperação de alguns importantes registros históricos. Deste período, no entanto, é de grande relevância registrar um nome que destacou-se entre os demais pioneiros do teatro em Blumenau: Rose Gaertner. Seu papel como incentivadora é indiscutível e sua trajetória foi pautada por atitudes que a colocaram também como a primeira feminista da cidade.

Período crítico

O início do século não começou bem para as artes na cidade. Em 1900 morria Rose Gaertner e em 1917, com a Primeira Guerra Mundial, o idioma alemão foi proibido. Por quatro anos as atividades teatrais ficaram paralisadas. Só voltaram a tornar-se intensas entre 1920 e 1936.

Pedra fundamental

Em 1935 a Sociedade Teatral Frohsinn lançou, dia 10 de dezembro, a pedra fundamental da construção do novo teatro. Agora na Rua 15 de Novembro, no centro da cidade. Enquanto a sede era construída, em 1936 a Sociedade Frohsinn unia-se a Sociedade Liederkrantz, que era a fusão da Sociedade Musical Lyra com a Sociedade de Canto Germânia.

Em 1937 uma nova lei obrigando o uso do idioma nacional por todos os imigrantes e descendentes ocasionou um generalizado desânimo nos amadores teatrais.

O nome atual

teatroA primeira parte das obras do teatro foi concluída em 1939 (compreendendo a parte externa, salão de festas e restaurante). Neste ano a Sociedade Teatral Frohsinn alterou definitivamente seu nome para Sociedade Dramático Musical Carlos Gomes. O novo teatro foi inaugurado dia 1º de julho de 1939.

A atual Sociedade, que compreendia a fusão da Frohsinn com a Liederkrantz, começava então a conquistar suas primeiras glórias: constituiu a Orquestra e o Coro sob regência do maestro Heinz Geyer.

Heinz Geyer, discípulo do mundialmente famoso Richard Strauss e amigo íntimo do pianista Arthur Rubinstein, chegou a Blumenau no início da década de vinte. No tempo em que esteve à frente das atividades artísticas da Sociedade produziu três óperas e inúmeras peças para canto. A primeira ópera montada na cidade e com artistas locais foi "Preciosa", de Carl Maria Von Weber.

O Salão de Festas, com pequeno espaço para apresentações, tinha papel muito importante, pois cada espetáculo (teatro, concerto, coral), era completado com um baile.

A sala de espetáculos, coxias, palco giratório com 12 metros de diâmetro, inovação que ainda hoje é prerrogativa de poucos teatros brasileiros, foram inauguradas dia 5 de dezembro de 1942. Neste mesmo ano é criada também a Escola de Ballet do Teatro Carlos Gomes.

Em 1949 surgia nas dependências do Teatro o Conservatório Curt Hering, dedicado ao ensino e prática da música até 1970. Extinto o Conservatório, surge em 1971 a Escola Superior de Música de Blumenau, sob a direção de Oscar Armando Zander. Sua nomenclatura foi alterada para Escola de Música de Blumenau, em 1996, e, atualmente, desde início do ano de 2009, é denominada de Escola de Música do Teatro Carlos Gomes.

Em 1981 é criada a Orquestra de Câmara de Blumenau, por Dieter Hering e a musicista Neyde Coelho, tendo como regente o maestro Norton Morozowicz. Foi considerada pela crítica especializada como o melhor conjunto de câmara do país. Foram várias as turnês realizadas dentro e fora do Brasil.

Numa nova fase formou-se a Academia de Cordas de Blumenau e a partir dela a Orquestra do Teatro Carlos Gomes, que assume o papel de representante musical de uma das mais importantes casas de cultura do Estado. A orquestra dá continuidade à herança cultural recebida, projetando a cidade no meio musical do Estado e do país. Hoje o grupo voltou a adotar o nome Orquestra de Câmara de Blumenau.

Cenicamente o Teatro só volta a receber novo impulso com a criação, em 1969, da Equipe Vira Lata de Teatro. Dirigida por Carlos Roberto Jardim, a equipe trabalha na formação de platéia com montagens infantis. Outro impulso vem em 1984, com a criação do Núcleo de Teatro e Escola - NuTe, que volta suas atividades para o estudo e a formação de novos valores para a arte cênica blumenauense. Em 2004 a Escola de Teatro passou a ser administrada pela Cia. Carona de Teatro, do diretor Pepe Sedrez, recebendo o nome de Carona Escola de Teatro.

Hoje

frente teatroAtualmente, a Sociedade Dramático Musical Carlos Gomes abriga outras atividades, além das já citadas escolas de ballet, de música, de teatro e a orquestra. Também fazem parte da sociedade dois auditórios, dois salões, cinco salas de apoio para sediar diversos eventos, dispondo de bar executivo e restaurante.


Além de representar a história de um povo que tradicionalmente luta pela cultura, o Teatro Carlos Gomes proporciona à cidade e regiões vizinhas, momentos de grande prazer e descontração, além de oportunidades de aprendizado na área da música, dança e teatro. E para atender ainda melhor a seus propósitos, passou por uma fase de restauro e reformas.

Diretoria

Executiva 2016/2019

  • Presidente: Ricardo Stodieck    
  • Vice-Presidente: Conrado Odebrecht Filho
  • Vice-Presidente Financeiro: Valda Stange    
  • Vice-Presidente Administrativo: Guilherme Benno Guenther

Conselho Deliberativo 2017/2020

  • Presidente: Jorge José Cenci
  • Vice-Presidente: Hercílio Celso Baumgarten
  • Secretário: Paulo Roberto Ostermann

Conselheiros

Conselheiros com Mandato até 2018

  • Avelino Lombardi

  • Carl Heinz Lueders

  • Hans Dieter Didjurgeit

  • Hans Martin Meyer

  • Luiz Micheluzzi

  • Jorge José Cenci

  • Nicolau Eloi dos Santos

  • Luiz Renato Garcez de Mello

  • Rui Altemburg


Conselheiros com Mandato até 2019

  • Anselmo de Souza

  • Carlos Tavares D’Amaral

  • Ingo Padaratz

  • Lorival Hari Saade

  • Paulo Cesar Lopes

  • Paulo Roberto Ostermann

  • João Nivaldo Tomazzia

  • Sueli M. Vanzuita Petry


 

Conselheiros com Mandato até 2020

  • Bráulio Maria Schloegel

  • Carlos Braga Mueller

  • Félix Christiano Theiss

  • Francisco Hoeltgebaum

  • Hercílio Celso Baumgarten

  • Paulo Kuroski

  • Walter Weidlich Filho

  • Werner Frischknecht


Membros do Conselho Fiscal 2017/2018
(Titulares)

  • Marcelino Campos

  • Ari Leandro Gonçalves

  • Moacir Krambeck

(Suplentes)

  • Carlos Adell Péricas

  • Bruno Hoeltgebaum

  • Rubens Giese


Conselho de Honra

  • Wandér Weege

Teatro Carlos Gomes © 2015. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Brava Propaganda e Spezzi.